Comércio quer atrair mais pessoas ao Centro à noite

Em seu primeiro ano como presidente da CDL de Fortaleza, Assis Cavalcante quer aumentar o movimento de consumidores no Centro da Capital à medida que a alta das vendas em alguns setores já chega a 5% em relação ao ano passado.

Além disso, de acordo com ele, a ideia é desenvolver o comércio de diversos bairros, conversar em harmonia com lojistas de rua e comerciantes dos shopping centers e elevar o número de associados da CDL, que hoje é de 10 mil.

“Nós queremos atrair as pessoas para circular no Centro nos horários da noite, depois das 18 horas. Dessa forma, nós estamos pensando em criar atrações aos fins de semana. São atrações musicais, shows regionais, show de calouros, festival de música. Tem o Cine São Luís e o Teatro José de Alencar que são grandes atrações”, acrescenta.

Segundo ele, iniciou-se timidamente a procura dos consumidores pelos horários diferenciados no Centro. “O sábado já está consolidado. Também é embrionário, mas temos uma boa aceitação. Em alguns estabelecimentos, foi mantido o horário de funcionamento até às 19h”, explica.

Assis Cavalcante diz que os shoppings da Capital já aplicam aos domingos o horário estendido. “Nós já aplicamos isso na época do Natal. Queremos implementar horários mais elásticos em outros dias da semana também”.

As mudanças deverão acontecer gradualmente neste ano e os consumidores poderão sentir nos próximos meses a alteração nos horários de atendimento das lojas.

Movimentação

Atualmente, passam pelo Centro de Fortaleza cerca de 350 mil pessoas por dia.

“Eu preciso desenvolver o comércio de outros bairros também. Eu me reporto mais ao Centro porque estão lá 7,8 mil empresas. Para se ter uma ideia, no Meireles existem 4 mil empresas. Então, eu preciso de olhos mais acurados da Prefeitura de Fortaleza e do Governo do Estado do Ceará para o Centro da cidade”, afirma.

Em vigor desde novembro do ano passado, a Reforma Trabalhista proporcionou ao comércio contratar trabalhadores no formato intermitente. A medida ainda não tem gerado grandes efeitos para o setor, mas de acordo com Assis Cavalcante, os resultados são positivos.

“A reforma veio para atender aos nossos anseios. Tem tido sim sucesso, principalmente com o pessoal do telemarketing, bares e restaurantes, mas nós ainda precisamos consolidar isso e aprimorar a Reforma Trabalhista”.

Empregos

O comércio registrou saldo positivo de 1.598 vagas de emprego formal em dezembro do ano passado, quando houve mais de 7 mil contratações no período contra 5,5 mil demissões, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). No ano, o setor obteve saldo positivo de 524 vagas formais.

“A tendência é neste ano a gente não dispensar tanto. O comércio em janeiro respondeu melhor em relação a outros anos. Muita gente que foi contratada em dezembro permaneceu empregada”, garante.

Perspectivas

Para 2018, o presidente da CDL Fortaleza diz que as expectativas são boas para o setor. “Considerando que precisamos aprovar a Reforma da Previdência. Ela é fundamental para que nós tenhamos um mercado mais competitivo, mais arrojado e mais pujante”, afirma.

Além disso, Assis Cavalcante espera que os juros se mantenham baixos e que a inflação fique no patamar atual. “Precisamos que a taxa de juros fique mais baixa e que vá para o varejo e não fique apenas no noticiário. Nossa expectativa é que essa taxa de inflação fique como está para viabilizar muitos projetos”.

Para o presidente da Federação das CDLs do Ceará, Freitas Cordeiro, a expectativa para comércio e economia em 2018 são boas. “Estamos com uma expectativa positiva, com uma rampa de saída boa. Todos os indicadores são bons. Estamos na linha de crescimento, indo gradualmente neste sentido”, completa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *