7 lições que todo empreendedor deve saber antes de abrir um negócio

Já imaginou abrir o negócio dos seus sonhos, do jeito que sempre sonhou, com cada detalhe escolhido a dedo?

Agora, imagine o negócio crescendo, prosperando e atingindo tudo aquilo que você desejou desde o início!

Seria uma maravilha se tudo corresse dessa forma. Produtos que vendessem bem, clientes educados e felizes, fornecedores competentes e dispostos, colaboradores talentosos e proativos.

Tudo parece maravilhoso quando se tem uma ideia na cabeça e muita vontade de fazer acontecer.

O que acontece é que muitos empreendedores se deparam com uma série de eventos (que são normais em qualquer negócio), mas muitas vezes, por falta de conhecimento, não conseguem encontrar uma solução.

Arriscar faz parte da característica empreendedora, mas para que você esteja mais preparado, veja só essas 7 lições que todo empreendedor deve saber.

1 – Domine a sua área de atuação

Se você tem ou pretende abrir um negócio para vender móveis em madeira, por exemplo, procure saber tudo sobre esse universo. Quem são os principais nomes do mercado em que você atua, que tipos de produtos são mais rentáveis.

Quando você conhece cada característica da área de atuação do seu negócio, fica mais fácil visualizar um cenário estratégico e, dessa forma, consegue ter uma perspectiva de financiamento, que tipos de profissionais deve contratar, melhor localização para abrir o negócio etc.

Visite concorrentes e veja o que eles estão ofertando, como estão atendendo, quantos funcionários existem, qual a qualidade do produto e faça bastante perguntas.

Quanto mais você souber sobre o seu mercado, mais preparado você estará para eventuais imprevistos.

2 – Reserve bastante tempo para o seu negócio

Ah, essa lição você deve conhecer muito bem, não é mesmo? Sim, todo empreendedor praticamente vive o seu negócio o tempo todo.

É bastante comum, principalmente se ele estiver nos seus primeiros anos de vida.

Porém, dedicar tempo para a sua empresa não é apenas resolver problemas e pagar contas. O que queremos dizer é quanto deste tempo é reservado para projetar o futuro, planejar e criar uma visão a médio e longo prazo?

Muitas vezes não sobra nem tempo, é verdade. Mas, parar e analisar o que vem dado certo e o que pode ser feito para evoluir pode fazer a diferença na continuidade da sua empresa em períodos não muito amigáveis para negócios, como crises financeiras.

Nenhuma empresa está imune de passar por maus bocados, mas estar preparado é o que separa empreendedores aventureiros de empreendedores com verdadeira visão de negócio.

 3 – Cerque-se dos melhores apoios que puder encontrar

Já ouviu aquele ditado “Diga-me com quem andas e te direi quem és”? Quando se tem um negócio não é diferente.

Estar perto de pessoas que possam servir de apoio à sua empresa traz inúmeros benefícios como troca de informações importantes, parcerias, acesso a fornecedores e muitas outras.

Procure entidades que beneficiem o seu negócio nos mais variados aspectos.

Além de dar um suporte ao negócio e defender os interesses da classe em que você se encontra, entidades como CDL ofertam ferramentas de apoio ao empreendedor.

 4 – Admita erros e não banque o super-herói

Pessoas erram!

Você pode ter a melhor ideia do mundo, uma solução incrível que pode ajudar uma centena pessoas, pode ter planejado de cabo a rabo todos os passos do seu negócio e, ainda assim, ter dado tudo errado.

Um erro pode desencadear outros e a coisa rapidamente fugir de controle.

Ter controle sobre o seu negócio significa também admitir os erros. Errou? Identifique o que deu errado, analise e vislumbre como pode consertar e contornar o problema.

Se não conseguiu, peça ajuda! Lembra do tópico anterior? Pois é, são nessas horas que ter os melhores apoios pode te ajudar a dar a volta por cima.

O mais importante aqui é não bancar o super-herói! Quanto antes você reconhecer e admitir o erro, mais rápido será pra consertar, podendo minimizar o prejuízo.

5 – NUNCA pare de aprender!

Conhecimento nunca é demais, correto?

Além de aumentar a capacidade do empreendedor, quanto mais conhecimento acumulado, mais você irá entender sobre o seu mercado, os seus clientes, economia e ficar atento às mudanças do lugar onde você atua.

E não se limite apenas aos conhecimentos que te agradam, mas aos que você precisa e os que podem te ajudar de alguma forma. E conhecimento sempre ajuda de alguma forma.

Seja na sua forma de comunicação com clientes ao planejamento financeiro, passando pela negociação com fornecedores.

Estimule a sua curiosidade. Leia, assista, esteja presente em palestras, veja filmes…

6 – Escute bastante o que os outros têm a dizer

O empreendedor não é dono da verdade absoluta. Nem sempre quem está tocando a empresa, tem as melhores decisões e um bom líder sabe reconhecer bons conselhos.

Muitas vezes o dia a dia do negócio pode distanciar o empreendedor dos seus funcionários e clientes, o que pode fazer com que a visão de negócio fique um pouco disforme.

Manter sempre a atenção para o que os outros têm a dizer, não só deixa o empreendedor com os pés no chão como ajuda a criar novas alternativas e a propor soluções que antes não foram percebidas.

  • O que seus funcionários têm a dizer sobre o seu produto, empresa e a gestão?
  • O que os clientes têm a dizer sobre o atendimento e em como você pode ajudá-los?
  • O que seus parceiros podem falar sobre seu negócio?

São atitudes simples, mas bastante poderosas para quem quer fazer uma empresa evoluir, prosperar e estar preparada para imprevistos.

7 – Seja persistente. Mas, saiba a hora de parar

É muito bom ter uma excelente ideia e ver o seu negócio ganhando vida.

Para empreender é preciso trabalhar, muitas vezes, dobrado. É cansativo e pode ser frustrante em inúmeros momentos. Tudo isso faz parte do papel de ter uma empresa.

De que adianta ter tudo muito bem elaborado no papel, mas não tocar o plano pra frente?

Empresas que hoje conhecemos como grandes referências na área, já sofreram com falta de investimento, de incentivo e uma série de problemas que o empreendedor pode enfrentar.

Nem sempre se acerta na primeira tentativa, mas nem por isso é motivo de desistir,

Porém, há o outro lado também. É preciso saber reconhecer quando um negócio ou uma ideia não funciona tão bem quanto deveria funcionar.

Se isso acontecer, não é motivo de desistir, mas pode ser a hora de recomeçar e acionar o apoio de quem já conseguiu.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *