Qual o perfil de profissional que as empresas querem em 2018?

O modo como um indivíduo gerencia suas emoções é determinante para seu sucesso pessoal e profissional

Qual é o perfil do profissional desejado pelas empresas neste momento de reaquecimento econômico do País?

O esforçado, que está sempre disposto a se desenvolver e entregar resultados, ou o que se destaca por suas qualificações técnicas, formação acadêmica e seus cursos extracurriculares?

As empresas que estão voltando a contratar neste primeiro semestre precisam escolher acertadamente seus líderes e equipes.

Para tanto, na hora de selecionar um candidato a uma vaga, seguem avaliando os itens do currículo tradicional, mas estão valorizando – e até considerando como fator decisivo – aspectos como inteligência emocional, resiliência e capacidade de se adaptar às mudanças.

O psicólogo, escritor e Ph.D. da Universidade de Harvard Daniel Goleman ensina que o modo como um indivíduo gerencia suas emoções é determinante para seu sucesso pessoal e profissional.

Goleman afirma o que muitos líderes corporativos confirmam: as pessoas com inteligência emocional geralmente são confiantes, seguem suas metas, são adaptáveis e flexíveis.

Leia também: A inovação tem a ver com pessoas

Ou seja, quem possui a capacidade de ter equilíbrio diante das adversidades, motivação para superar desafios e ainda consegue ser gentil tem mais chances de alcançar o sucesso, no ambiente profissional e na vida.

O fato é que o mercado de trabalho exige, atualmente, um novo perfil de profissional. É preciso que a pessoa se desenvolva de maneira completa, tanto no que se refere às competências técnicas quanto às comportamentais.

Nesse sentido, destaco aqui dois indicadores importantes – e já reconhecido pelas empresas: engajamento e empatia.

Somente quem possui engajamento profissional é capaz de se dedicar com paixão à carreira e ter ambição para buscar novos desafios profissionais. Engajados dão o seu melhor para atingir objetivos e metas, por isso, sempre se destacam nas organizações.

Já a empatia – que é a capacidade de se colocar no lugar do outro, ouvir e entender suas necessidades e dificuldades – é fundamental para garantir relações harmônicas e colaborativas entre equipes de trabalho.

Líderes que têm essa habilidade garantem motivação no ambiente organizacional, que resulta em mais produtividade e eficiência.

Em suma, o perfil do profissional mais desejado pelas empresas reúne atributos como esforço, ambição e criatividade.

Trata-se do profissional que gosta de mudanças, está sempre em busca do desenvolvimento profissional e almeja dar, verdadeiramente, um significado à própria carreira.

Cleverton Alves — Diretor de Recursos Humanos da Service IT, integradora de soluções e serviços de TI especializada em outsourcing e consultoria, com mais de 20 anos de atuação.

Fonte: administradores.com

Deixe seu comentário

  1. 18 de maio de 2018 at 10:44

    E muito bom este aplicadevo eu gosto


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *