Como o varejo está se preparando para a Black Friday?

Você já deve ter percebido que, em muitos lugares, a Black Friday já começou.

As semanas que antecedem o dia D servem como um “esquenta”, já com algumas promoções em andamento.

A cada ano, a Black Friday se torna uma data cada vez mais importante no calendário promocional do varejo.

Dois pontos quentes que os varejistas estão considerando são as vendas on-line e a variedade nas formas de pagamento.

Criteo destacou as principais maneiras de encontrar novos produtos para comprar.

São elas: sites de pesquisa (39%), lojas físicas (33%), sites de marca e aplicativos (32%), sites e aplicativos de varejo (29%) e anúncios on-line (26%).

Então, mesmo com a reabertura total das lojas físicas, o consumidor não abandonará seus novos hábitos de compra digital adquiridos na pandemia.

Omnichannel

Para o consumidor, não existe separação clara entre digital e físico.

De acordo com a Linx, especialista em software para o varejo, em 2020, houve um aumento de 69% no número de pedidos omnichannel.

Pra quem desconhece, são pedidos feitos on-line e retirados nas lojas físicas ou nos drive-thrus, por exemplo.

Segundo o E-commerce Brasil, o ship from store (envio de produtos a partir do estoque das lojas físicas) foi o destaque da Black Friday 2020.

Esse tipo de venda aumentou 142% na comparação anual, mostrando claramente que o varejo se reinventou durante a pandemia.

Mobile em primeiro lugar

O celular vem assumindo o protagonismo para os consumidores.

Eles transformaram os smartphones em seu principal canal de relacionamento com marcas e produtos.

Na Black Friday 2020, 40% das vendas do varejo foram feitas a partir de dispositivos móveis.

O varejo está cada vez mais adotando uma estratégia que privilegia a construção de e-commerces que funcionem bem nos smartphones.

Quem tem plataformas mais antigas já está se adaptando e tentando trocar seu serviço.

Sem contar que, hoje em dia, as vendas digitais não precisam necessariamente de um e-commerce.

Seus perfis nas redes sociais e o WhatsApp também são ferramentas importantes de relacionamento e vendas.

Categorias mais procuradas do varejo

De acordo com a Ebit/Nielsen, na intenção de compra para a Black Friday deste ano, o top 10 de categorias do varejo são:

  • Eletrônicos (44%)
  • Eletrodomésticos (39%)
  • Casa e Decoração (30%)
  • Informática (29%)
  • Moda e Acessórios (28%)
  • Cosméticos e Perfumaria (24%)
  • Telefonia/Celulares (23%)
  • Livros (18%)
  • Games (15%)
  • Alimentos & Bebidas (14%)

Aqui na região Nordeste, a previsão dos artigos mais procurados é: eletrônicos, eletrodomésticos e informática.

Uma pesquisa desenvolvida pelo Facebook com foco nas tendências da Black Friday 2021 no Brasil listou os critérios decisivos para a compra de produtos em geral.

São eles: frete grátis (54%); preço (51%); e qualidade do produto (48%).

Métodos de pagamento e promoções

Neste ano, os pagamentos instantâneos, como o Pix, são os protagonistas.

Para alavancar as vendas, alguns negócios estão oferecendo vantagens em utilizar esse tipo de pagamento durante a Black Friday.

Os clientes estão cada vez mais monitorando preços para garantir boas compras.

Por isso, é importante que os vendedores estejam atentos aos preços dos concorrentes e se planejem para trabalhar com ofertas e promoções.

Então, na Black Friday 2021, é preciso focar ofertas reais e atrativas.

 

Confira também:

Seja um Associado CDL de Fortaleza

Instagram

Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *