Projeto Novo Centro: bairro terá ‘terminal aberto’ e faixas exclusivas para ônibus

Mudanças fazem parte de um pacote de obras e intervenções no Centro de Fortaleza, que vão de segurança e mobilidade a habitação e cultura.

Com o objetivo de modificar e reorganizar o cenário do Centro de Fortaleza através de obras e intervenções, foi lançado, na manhã desta sexta (17), o Projeto Novo Centro, no Parque Pajeú.

Serão realizadas ações em seis eixos: Habitação, Política de Apoio à Pessoas em Situação de Rua, Turismo e Cultura, Infraestrutura e Mobilidade, Ordenamento do Comércio Informal e Segurança e Fiscalização.

No que diz respeito à Habitação, o projeto deverá viabilizar até 900 unidades habitacionais na região central da cidade, além da implantação de uma “pousada social” para pessoas em situação de rua, com até 100 vagas, e a destinação de vagas para o programa de Aluguel Social.

Com relação ao eixo Infraestrutura e Mobilidade, deve ser construído um Terminal Aberto, ao lado da Praça José de Alencar; e os calçadões da Guilherme Rocha e Liberato Barroso passarão por reformas.

Além disso, faixas exclusivas de ônibus serão implantadas na Avenida Duque de Caxias e nas Ruas João Moreira e Castro e Silva.

Leia também: A gentileza de ordenar e valorizar o Centro

As Ruas Senador Pompeu, Barão do Rio Branco, Major Facundo e Floriano Peixoto, além dos cruzamentos das Ruas Senador Pompeu e Barão do Rio Branco, receberão travessias elevadas. A Rua Barão do Rio Branco também será alvo do Projeto Calçada Viva.

Na área do Ordenamento do Comércio Informal, estão inclusos dois projetos pilotos: a padronização de bancas na Rua Barão do Rio Branco, e a criação de quiosques nos calçadões das Ruas Guilherme Rocha e Liberato Barroso, com o objetivo de ordenar o comércio informal.

O eixo Turismo e Cultura trabalhará a consolidação de uma agenda cultural única no Centro da Cidade.

Leia também: Zona Azul de Fortaleza passa a ser digital e contará com sete aplicativos

Através do eixo Segurança e Fiscalização, deverão ser instaladas 40 novas câmeras de videomonitoramento, que serão somadas às 32 câmeras já existentes da Prefeitura e às 11 câmeras da Secretaria de Segurança Pública. Também está prevista a aquisição de uma célula de monitoramento com instalação de vídeowall.

A iniciativa também prevê a criação de um Conselho de Governança para o Centro, composto por instituições públicas e privadas que deverão acompanhar a execução de todas as ações do Projeto, possibilitando melhorias na utilização dos espaços públicos a serem executadas a curto, médio e longo prazos.

As ações serão definidas por um Comitê Gestor formado por representantes da Prefeitura de Fortaleza, CDL de Fortaleza e outras entidades de classe, além de moradores e representantes da sociedade civil.

Fonte: Diário do Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *