Conciliador de cartão. 6 sinais de que você precisa contratar um

As vendas de cartão de crédito representam boa parte da sua receita? Você sabe exatamente o que foi pago e quais taxas foram aplicadas em cada bandeira de cartão? Se você respondeu sim para a primeira pergunta e não sei para a segunda, você precisa saber sobre conciliador de cartão.

Mas, antes de entrar a fundo nesse assunto, saber um pouco sobre a influência dos cartões de crédito pode ajudar a entender o cenário por inteiro.

Só para se ter uma ideia do tamanho do impacto na economia através dos cartões de crédito, o setor movimentou 461 bilhões de reais apenas no primeiro trimestre de 2019, sendo 291 bilhões em crédito e 163 bilhões de compras efetuadas no débito.

São efetuadas, em média, 35,8 mil transações por minuto de compras pelas maquininhas e pelos comércios eletrônicos.

Esses números por si só já são bastante intimidadores e a tendência é que cresça ainda mais, pois os pequenos negócios que usam máquinas de cartão já somam 46%.

A questão é manter todas essas vendas em total controle para não bagunçar o financeiro e dar prejuízos para a empresa. É aí que entra a conciliação de cartão.

De alguma forma, se você efetua vendas por cartão, faz esse controle, mas pode ser que esteja perdendo dinheiro sem um método melhor.

Como conciliar cartões

Conciliar vendas nos cartões é indispensável para receber exatamente o que foi vendido.

Diferentemente de pagar à vista e em dinheiro, a venda por cartão carrega uma série de detalhes que, para quem tem comércio, é essencial para não ter prejuízos.

Para entender como funciona essa prática, é preciso explicar o que compete a venda por cartão.

Quando um comércio decide aceitar compras em cartão, é preciso contratar uma adquirente. A depender da negociação, o contrato deve manter claro as taxas que vão cair sobre os processos e os valores que serão cobrados.

As taxas mais comuns são essas:

  • Aluguel da máquina: valor cobrado por mês para que o comerciante utilize os equipamentos que passam o cartão;
  • Taxa do cartão: em cada venda realizada é cobrada uma taxa. Sendo que taxas de débito e crédito são diferentes;
  • Taxas de antecipação: quando uma venda é efetuada por cartão, o valor não chega ao comerciante imediatamente. Por isso, alguns adquirentes fazem a antecipação de valor, mas cobram uma taxa para essa ação;
  • Taxa de parcelamento: o grande apelo de comprar com cartão de crédito é poder parcelar. Acontece que para ofertar isso para o seu consumidor, também é preciso pagar uma taxa de parcelamento para a operadora.

Além de saber sobre as taxas cobradas e como elas influenciam suas vendas, os equipamentos também são importantes e vão ter impactos diretos no seu comércio.

Existem dois tipos de equipamento, o POS e o TEF.

  • POS: esse equipamento é a famosa maquininha portátil que não tem fio, logo não possui conexão com o PDV. É ideal para quem precisa de mobilidade como restaurantes, bares, serviços de delivery. Porém, máquinas tipo POS são mais suscetíveis a fraudes;
  • TEF: essa maquininha é mais encontrada em padarias e supermercados. Ela é ligada diretamente ao PDV por um fio e entrega maior segurança, evitando fraudes.

Fazer a conciliação de cartão é entender todo esse processo e controlar o que foi vendido, o que vai ser recebido, quais taxas serão pagas, se estão no valor acordado no contrato e uma série de fatores que incidem nas compras de cartão.

6 sinais de que você precisa de um conciliador de cartões

1 – Você não sabe exatamente quanto está recebendo

Todo final de mês é a mesma coisa: falta grana aqui e acolá que não bate com a quantia vendida.

É preciso mobilizar toda a equipe financeira, fazer um pente fino, resgatar papéis minúsculos e levar dias e dias até que todas as informações batam e o financeiro consiga definir como foram as vendas do mês.

2 – Guarda uma quantidade absurda de pequenos papéis

Já sentiu que toda a sua empresa fica refém de papéis que parecem inúteis e que são extremamente fáceis de perder?

Esses papéis garantem a sua informação sempre quando precisa conciliar as vendas efetuadas em cartão. Acontece que eles vão se acumulando e fica mais fácil de perder uma informação no meio de tantos.

3 – Separa funcionários exclusivos para essa função

Uma equipe financeira lida com diversos afazeres e sua principal função é manter a empresa saudável em relação às finanças.

É essa equipe que pode determinar corte de custos, investimentos, negociação com fornecedores, entre outras funções.

O problema é que conciliar as vendas de cartão exige uma atenção extra que pode atrapalhar a rotina do financeiro, tendo como consequência prejuízos ou sobrecarga do time financeiro.

4 – Não sabe o quanto está pagando para as operadoras

Se já é bastante difícil controlar as vendas de cartão e o que vai receber, imagina adicionar outras variáveis a essa conta?

Além das vendas, é preciso colocar as taxas das operadoras, aluguel de máquinas, taxas de antecipação. Ou seja, torna mais difícil identificar cobranças indevidas ou até mesmo abusivas.

Sem uma ajuda, tudo isso fica mais difícil de ser feito e torna o processo passível de erros que podem prejudicar o negócio, fazendo da venda por cartão um ônus para a sua empresa.

5 – Perde tempo no processo de conciliação de cartão

Efetuar a conciliação de cartão é um processo que envolve muitos números e detalhes que, aos olhos mais dispersos, podem causar resultados errados no financeiro de uma empresa.

Para que isso não ocorra, as empresas deixam pessoas apenas para essa função que precisa fazer todos esses processos manualmente, conferindo cada venda, o que foi recebido, calcular taxas, antecipações, quando o saldo entra etc.

Além de contraproducente, erros são cometidos e logo logo, todo o financeiro está comprometido.

6 – Acredita que um conciliador de cartão é dispensável

Deixar um funcionário exclusivo para isso ou até uma equipe para realizar a conciliação de cartão pode parecer, no primeiro momento, uma economia.

“Se eu já tenho uma equipe, por que contratar uma ferramenta?”

Com uma ferramenta que faça todo esse processo de maneira segura, automática e que elimine erros humanos, você consegue deixar sua equipe financeira focada no que realmente importa.

A CDL de Fortaleza disponibiliza para seus parceiros, o SPC Conciliador que cabe no bolso do empresário de Fortaleza. Veja só:

Dessa maneira, você evita fraudes, otimiza processo de conciliação das vendas de cartão, corta custos, elimina erros e tem acesso a relatórios completos que servem de base para planejamentos estratégicos comerciais.

Se tudo isso faz sentido para você e a sua empresa, clica na imagem abaixo, efetue o cadastro e entre em contato com um de nossos consultores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *