Gestão de estoque. O que você precisa saber para otimizar o seu

Já imaginou o que seria do comércio sem uma gestão de estoque eficiente? Para quem vê de fora, pode parecer apenas “guardar produtos e esperar para que sejam vendidos”.

Mas, quem lida com esse tipo de gestão, no dia a dia, sabe que um controle ineficiente pode causar consequências desastrosas para uma loja como:

– Produtos desvalorizados;

– Não pagar fornecedores a tempo;

– Diminuir a competitividade do produto;

– Acúmulo de produtos no estoque.

O que acontece é que um estoque realmente afinado com todos os setores da empresa necessita de um planejamento mais à frente, ou seja, a longo prazo, e, infelizmente, ainda existem muitas empresas que dão atenção apenas à receita de curto prazo.

Portanto, reunimos algumas boas práticas que você pode aplicar na gestão de estoque do seu comércio e, dessa forma, evitar desperdício, dinheiro jogado fora e garantir mais lucro.

Para uma boa gestão de estoque, foque na curva ABC

Sabemos que gerenciar o estoque pode ser uma verdadeira dor de cabeça, mas é aquele problema que não deve ser ignorado, senão algo que, antes era controlável, pode tomar proporções gigantescas.

Na hora de gerenciar não existe segredo. Todo empresário quer gastar menos, lucrar mais, como negociar maior prazo com fornecedores, com valores mais baixos e gastar o mínimo possível com produtos parados.

Para isso, a curva ABC pode ser uma poderosa ferramenta na sua gestão de estoque, impactando diretamente o seu financeiro.

Mas, o que é a curva ABC?

É um método de classificação de informações que separam os produtos em nível de maior importância ou impacto. Dessa forma, os produtos podem ser classificados como:

– Produtos A: são os mais importantes para sua empresa. São os 20% dos produtos que correspondem a 80% do total de vendas.

– Produtos B: são os produtos de importância mediana. Nesse caso, são os 30% dos itens que, juntos, são responsáveis por 15% do total de vendas.

– Produtos C: os de menor importância para seu comércio. Que são os 50% dos itens que, somados, representam apenas 5% do total de vendas.

Após classificar os seus produtos, você consegue obter uma visão geral do seu estoque e como ele impacta o seu financeiro.

Comprar por impulso

Embora seja mais associado às compras B2C, algumas pessoas responsáveis pelas compras junto a fornecedores ou até mesmo os próprios empresários negociam produtos por impulso, prevendo um movimento do mercado que não acontece.

Isso resulta em desperdício de dinheiro, estoque encalhado e sem saída nas vendas.

Claro, muitas vezes, fornecedores entregam excelentes negociações e produtos com preços bastante competitivos. Mas, no final do dia, todos querem vender e, portanto, é preciso avaliar com bastante cuidado a estratégia de venda final, bem como o lucro que será obtido e os prazos de pagamento.

Gerenciamento mais rígido

Boa parte do desperdício de produtos e uma má gestão de estoque é resultado de um problema bastante simples, mas que muitos teimam em ignorar: ter controle.

Veja bem, a venda final só acontece porque outros processos existem e esses processos devem ser analisados, metrificados e seus dados coletados.

Todo e qualquer produto que passe muito tempo em estoque perde valor a cada dia, então, é fundamental que existam estratégias que sejam sincronizadas com a venda final, com prazo de pagamento de fornecedores e até mesmo com a validade do produto.

Ignorar a sazonalidade

Quando falamos de produtos que sofrem com a sazonalidade, o problema agrava.

Supermercados, comércios que trabalham com alimentos como frutas da estação, lojas de roupas são os que tendem mais a sofrer com a sazonalidade.

Estocar mais produtos do que a demanda pode dar conta, talvez traga prejuízos enormes, visto que algumas datas são tão específicas que é quase impossível dar saída a alguns produtos.

Nesse caso, o mais inteligente a ser feito é analisar o desempenho, da mesma época em anos anteriores e conferir quais os itens que mais venderam, o que houve prejuízo e quais valores e prazos foram negociados.

Inteligência empreendedora

Vender mais e mais é o que todo empresário tem como objetivo. Ter todo o seu comércio funcionando perfeitamente como um relógio requer inteligência empreendedora e muita sabedoria na hora de escolher seus parceiros.

É por isso que a CDL de Fortaleza está sempre entregando soluções que ajudam o comércio da cidade a se manter forte, relevante e, principalmente, lucrativo.

Se você ainda não é um parceiro da CDL de Fortaleza, clica no link abaixo, fale com um de nossos consultores, conte suas dificuldades e encontre a melhor solução para o seu negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *