Como se adaptar e impulsionar o seu empreendimento varejista

Quem atua no mercado varejista sabe a reviravolta do mercado, desde 2020, devido a pandemia da Covid-19.

Com o distanciamento social e o receio da proliferação do vírus, a circulação de pessoas foi reduzida no comércio, afetando bastante as vendas.

Os lojistas tiveram que parar suas atividades por algum tempo. Afetando principalmente aqueles que tinham apenas loja física.

Ao mesmo tempo, o varejo on-line nunca havia apresentado números tão animadores como nesses tempos.

Até os varejistas que resistiam às vendas no digital acabaram se adaptando com este novo canal, reduzindo os impactos negativos da crise.

Para se adaptar de forma certeira, é preciso entender a situação atual do comércio varejista e analisar as mudanças no comportamento do consumidor.

Em meio a tantas incertezas, com a economia oscilando e o padrão de consumo mudando, como se adaptar? Leia a seguir algumas dicas e previsões.

Mais vendas on-line no comércio varejista

De acordo com o Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital (CCC-ENET), o e-commerce cresceu 73,88% no Brasil, em 2020.

Deste total, o varejo on-line aumentou 14,4%. Uma pesquisa global da Shopify apresentou que 84% dos consumidores compraram on-line durante a pandemia.

Os varejistas que investirem em loja física e virtual devem se manter à frente neste ano. Mesmo com a competição aumentando no comércio eletrônico.

Regionalização como estratégia no varejo

A regionalização se tornou uma estratégia efetiva para que pequenos e médios comércios varejistas conquistem mais representatividade em suas áreas de atuação.

Varejistas regionais podem crescer mais rapidamente, pois já conhecem bem os hábitos e costumes dos clientes no local onde atuam.

Dessa forma, fica mais fácil entender os pontos fracos e fortes, e definir os processos para ter um atendimento, uma oferta e uma logística mais eficazes.

Um novo comportamento do consumidor

O cenário da pandemia ampliou o desejo do consumidor por conveniência e rapidez em suas experiências on-line.

Um estudo da Mckinsey indica que cerca de 75% dos consumidores que afirmam ter experimentado diferentes marcas on-line durante a pandemia.

Com a prática do isolamento social, em casa, os consumidores aderiam às compras on-line e uso de pagamentos móveis.

Como impulsionar o seu empreendimento varejista?

De acordo com a IBM, aproximadamente 40% dos consumidores desejam produtos e marcas que estejam de acordo com suas crenças e estão dispostos a pagar por isso.

A Geração Z, agora o maior grupo de consumidores, lidera essa tendência. Eles estão dispostos a mudar seus hábitos de compra para reduzir o impacto ambiental.

Dados de uma pesquisa da Shopify mostram que os três principais motivos de compra são: boa seleção de produtos (57%); preços mais baixos (51%); e confiabilidade (34%).

As previsões de varejo direcionam para a união do comércio on-line com o físico, exigindo sagacidade por parte dos varejistas.

Então, se o seu negócio ainda não está adaptado a essa realidade, é um dos primeiros investimentos que você deve fazer a partir de agora.

Confira também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *