Modalidade de pagamento de compras virtuais como recarga de celular chega como facilidade aos brasileiros que não têm conta em banco e cartões de crédito ou débito.

Quase metade da população economicamente ativa do Brasil não possui conta em banco ou cartões, segundo o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Esses 60 milhões de brasileiros acima de 18 anos chegam a movimentar até R$ 665 bilhões ao ano, montante superior ao Produto Interno Bruto (PIB) de países como Equador (US$ 97 milhões).

Para esses consumidores, é desafio realizar compras pela internet. Muitas formas de pagamento exigem transações por meio de instituições financeiras.

De olho nesse mercado, dominado pela classe média C, neste mês de maio, surgiu o serviço de pagamento e transferência de dinheiro por meio de máquinas de recarga de celular.

O CEO da PinCash, Greg Descamps, conta que a ideia nasceu no Brasil. A empresa já anuncia expansão para países de economia emergente como Colômbia e Argentina. A sede da empresa fica em Berlim, Alemanha.

“Nós inventamos uma solução que permita a essas pessoas fazer uma compra online e pagar essa compra na esquina da rua. Quando você está em um mês em que 50% das pessoas fazem pagamento em dinheiro, as oportunidades são enormes”, explica.

Por meio do PinCash, o valor da venda em sites parceiros é transformado num código PIN, recebido por e-mail, SMS, e até mensagem no Facebook.

O usuário pode usar o código para pagar a compra em qualquer ponto de recarga de celular. O revendedor de créditos para celular coloca o PIN na maquineta, recebe o dinheiro da mão do consumidor e aperta um botão para indicar que o pagamento foi realizado. O site recebe a confirmação direto do terminal de recarga, em tempo real.

Leia também: Comércio pode cobrar preços diferentes de acordo com meio de pagamento

De acordo com a empresa, o sistema conta com mais de 330 mil pontos em todo o Brasil, incluindo padarias, postos de gasolina, drogarias e mercearias em municípios do Interior.

PinCash é uma alternativa mais rápida ao tradicional boleto, que não é aceito em todos os lugares, apenas bancos e alguns estabelecimentos como lotéricas, redes seletas de farmácias e supermercados.

O executivo destaca ainda que o PinCash pode ser utilizado para transferência de dinheiro entre pessoas físicas e como forma de doação para instituições.

Como funciona

Ele compensa na hora, como um cartão de crédito. O boleto leva 48 horas. O PinCash funciona 24 horas, 7 dias por semana e 365 dias no ano.

Fonte: O POVO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *