Como economizar nas compras de Natal

A data mais esperada para o comércio é também quando muitas pessoas acabam se endividando. Confira dicas para não cair nessa cilada e economizar nas compras de Natal!

Natal é época de festas, reunião de amigos, família, comida, presentes e… gastos. Para algumas pessoas, muitos gastos!

Apesar de ser a data comemorativa favorita da maioria da população e, definitivamente, o período mais esperado para os lojistas e comerciantes, muita gente gasta tanto no Natal que acaba comprometendo o orçamento para o ano seguinte.

Se esse é o seu caso, está na hora de repensar suas estratégias e aprender a economizar nas compras de Natal, porque mais um Natal está chegando – e seu legado deve ser de alegria e não de mais dívidas para tirar o seu sossego.

Uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), constatou que 72% das pessoas pretendem comprar presentes no Natal deste ano, o que representa mais de 110 milhões de brasileiros.

Ou seja, a maioria das pessoas vai colocar a mão no bolso para as festas natalinas. Para não começar o ano no vermelho, fique atento às dicas:

Entre quitar as dívidas e comprar presentes, escolha quitar as dívidas

As propagandas e o estímulo ao consumo são muito intensos nessa época do ano, mas resistir às tentações e priorizar as dívidas pendentes são maneiras eficazes de manter o equilíbrio financeiro.

“Apesar do Natal ser uma data que atinge o emocional das pessoas, é importante pensar no ano que virá e na possibilidade de começá-lo de forma organizada, tendo renegociado ou quitado as suas dívidas em atraso”, explica José Vignoli, educador financeiro do SPC Brasil.

Evite as compras por impulso

Shoppings e centros comerciais são uma armadilha para qualquer um, especialmente para quem não tem controle na hora de comprar presentes, mas com organização e moderação, é possível manter as compras dentro do orçamento.

Antes de sair para as compras, a pessoa deve estipular o quanto pode gastar com cada presente e levar apenas o dinheiro contado, de preferência, deixando o cartão em casa.

“Outra ideia é não comprar logo que ver algo: se passar pela vitrine e ver alguma coisa que goste, se informe sobre preços e condições de pagamento e vá dar uma volta para refletir melhor. Se a compra for impulsiva, provavelmente sua vontade de comprar vai passar nesse meio tempo”, aconselha Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil.

Leia também: Filhos influenciam cinco em cada dez pais na escolha dos presentes de Natal

Presente caro não é sinônimo de presente bom

Ainda que com boa intenção, muita gente acaba gastando uma fortuna em um presente porque acredita que, dessa forma, as chances de agradar são maiores.

“Mas um presente comprado com imaginação, uma coisa inesperada, até mesmo feita pela própria pessoa, pode dar mais satisfação do que alguma coisa cara, que não necessariamente agradará”, comenta Vignoli.

Escolha bem a sua companhia e, se possível, vá às compras sozinho

O ato de comprar está associado ao lazer para muitas pessoas, mas para quem tem um orçamento limitado, é preciso buscar praticidade para sofrer o mínimo possível de influências externas.

Fazer as compras com outra pessoa, por exemplo, pode te induzir a gastar mais do que deveria. “Como estamos prestando menos atenção nos preços e pesquisas, acabamos nos deixando levar mais pelas vitrines e opinião alheia”, explica Kawauti.

Outra dica da economista é deixar as crianças em casa, porque elas são mais vulneráveis às vitrines e podem exercer um grande poder de persuasão nos adultos.

“Por outro lado, pode ser uma boa ideia levar uma companhia que é controlada com os gastos e vai te ajudar a se manter dentro do limite”, sugere Marcela.

Sempre vale a pena pechinchar

Além de pesquisar um produto em várias lojas em busca do melhor preço, pedir descontos e vantagens sempre foi e continua sendo uma forma interessante para economizar nas compras de Natal, principalmente para quem está pagando à vista.

“Dependendo do tipo de compra, é possível obter bons descontos até mesmo nas grandes redes. Um bom exemplo disso são os eletrodomésticos, em que a concorrência é forte”, diz Vignoli.

Utilize aplicativos e folhetos da concorrência para mostrar ao vendedor que a loja ao lado tem um preço melhor. No mínimo, se não conceder o desconto, o vendedor vai perder o negócio.

Pesquise com antecedência

Acompanhar as variações nos valores de determinados produtos pode te ajudar a não cair na lábia dos falsos descontos. Além disso, comparar preços é uma das maneiras mais eficazes de economizar nas compras de Natal.

“A recomendação básica é sempre de três orçamentos. Mas, quanto mais lojas e mais tempo você tiver para pesquisar e comparar, melhor. Compras pela internet facilitam bastante essa comparação de preços – e aí é mais importante ainda a antecedência para ter tempo de o presente chegar em casa”, orienta Marcela.

Se possível, desapegue das datas

Comprar os presentes bem antes do Natal ou mesmo depois da data é um modo inteligente de honrar as tradições sem prejudicar o orçamento. Quanto mais próximo estiver o dia 25 de dezembro, maiores as chances de os preços estarem mais inflados.

“É claro que os preços vão variar diante da oferta e da procura, mas ter muita atenção e verificar se é possível adiar a compra para depois da data comemorativa pode ser uma boa estratégia para economizar nas compras de Natal”, sugere Vignoli.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *