A humanização como diferencial competitivo das empresas

O dirigente lojista, mesmo em tempos de muita descrença nas instituições, nas turbulências políticas que geram incertezas econômicas, acredita que pode trilhar um caminho de crescimento.

Se acreditar e investir no potencial das pessoas, nas relações mais humanizadas, no crescer de todos juntos, cada um desempenhando o seu papel é possível, sim, reescrever a história e sonhar com o pleno emprego, com menos desigualdades sociais, com um mundo melhor.

Em um mercado amplamente competitivo, o grande diferencial das empresas é o seu capital humano. As pessoas são a base de sustentação de qualquer organização, seja de que porte for.

Sempre serão elas o diferencial na construção de relações e dos vínculos que potencializarão ganhos na atividade exercida, com competitividade, gerando resultados.

Buscar os corações dos colaboradores é fundamental. Experiências, habilidades e conhecimentos, entendidos e mensurados, possibilitam enxergar melhor a importância do indivíduo, ressaltando a importância que ele tem para o sucesso do todo.

É papel do lojista buscar desenvolver no colaborador um conjunto de habilidades para que este possa bem relacionar-se, especialmente com o cliente, sem esquecer daquele com quem passa grande parte do dia ao seu lado, seu colega.

Humanizar as relações, então, é acolher, entender o outro, ter empatia e sentir-se corresponsável por ele. Sendo ele cliente ou colega.

Quando a harmonia se faz presente no ambiente de trabalho as pessoas se dispõem naturalmente a dar mais de si e este esforço se reverte em ganhos para todos. O varejo muito especialmente precisa desse novo olhar.

Assis Cavalcante – Proprietário das Óticas Visão e Presidente da CDL de Fortaleza (assisvisao@secrel.com.br ).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *