Assis Cavalcante: “Um país chamado Centro”

Existem locais que têm afetividade diferenciada; são pontos históricos, ruas, espaços públicos e particulares, memórias de nossa gente, algumas lojas e praças marcantes na vida das pessoas.

Da Esquina do Pecado à Praça dos Mártires, da Linha dos Bondes ao Abrigo Central, passando pelo Parque das Crianças e pelo Beco da Poeira, passado e presente se cruzam em um país chamado Centro de Fortaleza.

Um local que necessita de olhares mais apurados, de cuidado, de amor, de boas ideias para bem receber os “turistas” de casa, como os de fora.

A história da Capital passa por ali; mártires, empresários, poetas e anônimos deixaram suas histórias por entre as ruas da Capital. E hoje escrevemos uma nova história por entre os prédios e comércios da região.

Por isso, ordenar e valorizar o Centro é, antes de tudo, resgatar quem somos e planejar quem seremos.

Os desafios para um novo Centro, melhor para todos, passam pela reorganização do comércio, dos ambulantes, de reforma de estruturas como calçadas e algumas praças, mas também pelo incentivo à presença das pessoas, acolhendo a todos de forma segura e organizada.

Segurança pública e mobilidade urbana são exercícios constantes a exigirem esforço em toda grande cidade, imagine em um país como este, o Centro de Fortaleza.

Muito já tem sido feito. As obras do Metrô da linha Sul, as mudanças no trânsito com corredor expresso para ônibus, a regulamentação dos estacionamentos particulares, bem como da Zona Azul, as ações da CDL específicas para o maior bairro da Cidade, na busca de atrair mais pessoas, são apenas parte do grande esforço para oferecer a nossa gente um novo Centro, em que possamos andar com uma única preocupação: bem aproveitar.

O interesse é coletivo, por isso, as ações também precisam sê-lo. Somente a união do Poder Público, em conjunto com os comerciantes e com a participação dos cidadãos, poderá trazer ao Centro uma época mais bela, pujante de atrativos, tornando a região um espaço ocupado por gente, tomado de amor, de movimento, de alegria e de vida.

Vamos tirar nossos passaportes e seguir para lá. Se o bom da viagem é o percurso, garanto-lhes que esse destino é fantástico.

Assis Cavalcante – assisvisao@secrel.com.br [Presidente eleito da CDL de Fortaleza e escritor]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *