Assis Cavalcante: “Previsão de um promissor 2018”

O derradeiro bônus virá com a consolidação da reforma trabalhista, que trará maior flexibilidade dos contratos trabalhistas

Jamais esqueceremos a crise econômica que assolou o País em 2015. O dólar acelerou tanto que terminou o ano valendo incríveis R$ 4, e o ano terminou com a inflação acima de 10%.

Por perder o selo de bom pagador em duas agências de risco, o Brasil viu o desemprego sair de 6,5% para 8,9%, e a renda do trabalho recuou. Desemprego subiu, renda caiu, a gente se espantou.

Com o aumento das taxas de juros e a diminuição da renda dos consumidores, as vendas do comércio varejista despencaram em 2015 e fecharam o ano em queda de 4,3% – a maior da série histórica do IBGE.

A inadimplência disparou. Para se ter uma noção, em dezembro, eviterno mês de vendas crescentes, houve recuo de 2,7% relativamente a novembro.

A saída para essa situação teria, necessariamente, que passar por fortes investimentos em todos os setores da economia. Aqui em Fortaleza, em decorrência da aposta feita no crescimento da Cidade, o cenário começou a mudar e já revela boas projeções para o ano de 2018.

Iniciativas como o Fortaleza Competitiva, o Plano Fortaleza 2040, o incremento do horário do comércio e o início das operações do hub da Gol, Air France, KLM (que trará maior circulação de turistas consumidores em potencial) beneficiarão o comércio em si e o setor de serviços como um todo, injetando mais dinheiro na nossa economia.

Além disso, de acordo com estudo feito pela consultoria Urban Systems e publicado pela revista Exame, a cidade de Fortaleza integra a lista das cidades que mais valem a pena investir nos negócios.

2017 ainda foi um ano difícil, mas já foi um pouco melhor do que 2016, ano em que a propagação da crise política praticamente paralisou as ações do governo, que não pôde implementar agenda de gabarito da política econômica.

Mesmo assim, a economia deve fechar o ano com um crescimento entre 2% e 3%. Além disso, com a inflação sob controle, as pessoas perderam o medo do desemprego e voltaram a comprar, fazendo com que a previsão para um bem mais promissor 2018.

Creio que o derradeiro bônus virá com a consolidação da reforma trabalhista, que trará uma maior flexibilidade dos contratos trabalhistas, gerando mais empregos e forma mais eficiente de trabalho, por reduzir custos operacionais. O resultado será o aumento geração de renda e de impostos. Esperancemos!

Assis Cavalcante – assisvisao@secrel.com.br (Presidente eleito da CDL de Fortaleza e escritor)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *